Você apareceu quando eu mais precisava. Me salvou de algo que nem eu, naquele momento, sabia que era vítima. Me fez feliz como eu nunca fui na minha vida. Me deu os melhores dias, as melhores noites e todas as experiências que eu queria ter. Você é, com toda a certeza, a melhor coisa que já me aconteceu.
E então as coisas ficaram difíceis, pois como sempre, eu percebi algo que talvez seria melhor se eu não tivesse notado. Depois de um tempo, eu percebi que eu não podia te manter alí, não podia pedir que ficasse, sabendo que havia algo a mais no seu coração.
Eu fiz então a coisa mais difícil do mundo pra mim e deixei você ir.
Poucos dias antes disso, eu havia percebido algo que não estava alí antes. Quer dizer, não nessa proporção. Eu amava alguém e tinha que deixá-lo ir.
Depois disso, eu ainda tinha esperanças de tudo dar certo em algum momento. Não achei que fosse ser do jeito que foi e está sendo. Os dias foram ficando mais agoniantes e insuportáveis e eu odiava a idéia de não te ter ali do jeito que eu tinha antes.
Mas mesmo assim, de alguma forma e por algum motivo, nós dois sempre nos mantivemos perto um do outro. Eu comecei a te entender melhor, a me importar mais e a ser mais aberta sobre tudo com você. Você se tornou, além de tudo, meu melhor amigo. A pessoa com quem eu podia conversar, rir e chorar.
Ao invés de nos afastarmos, ficamos cada vez mais próximos.
Mas, por mais que você diga e eu sempre acredite (porque não há como duvidar nem da idéia mais absurda quando é a sua voz que fala), é difícil demais aceitar tudo isso.
Tudo parece cair aos pedaços sem você por perto. Nada tem a mesma graça.
A noite não é mais tão bonita, a música não é mais tão animadora, as piadas não tem mais tanta graça sem você pra compartilhar a visão, sem você pra dançar comigo e rir, com esse sorriso que faz eu me sentir tão melhor.
Por outro lado: a dor que essa situação me causa é realmente enorme, mas não se compara nem de longe ao que eu sinto por você.
Eu só quero que você entenda que, às vezes eu me sinto perdida no meio de tudo isso e a única vontade que eu tenho é de chorar no seu ombro, com você dizendo mais uma vez que tudo vai ficar bem.

Um café e um amor, por favor. Uma taça de vinho e uma noite de sexo, por obséquio.

Natália Leal

Tenho muito a dizer, mas diretamente pra você é tão difícil de explicar. Tudo que me rodeia é dor e o olho desse furacão é você. Aonde está toda a calmaria, a paz e a luz. É você.

Não me deixe, nunca. Por favor, não esqueça do que existiu e que, pelo menos pra mim ainda existe. Eu sinto muito por não ser o suficiente, não ser o melhor pra você. Mas eu tenho a esperança de que algum dia, mesmo que demore, eu ainda seja.

Não há nada que possa medir o tamanho desse sentimento. É estranho, pois nunca senti algo assim. É ridículo, porque colocado em palavras não soa tão bem. É absurdo, porque parece que não é possível alguém amar outra pessoa tanto assim. 

Ai, como eu me odeio por dentro por não ter sido o suficiente pra te fazer ficar. Como eu odeio a vida por me dar a melhor coisa do mundo e depois tirar. Eu não quero mais nada sem você. Você é tudo. 

E quando eu digo tudo, é tudo mesmo. Você está em cada copo de bebida que eu tomo pra tentar esquecer a dor, em cada trago no cigarro que eu dou pra queimar a angústia de não te ter por perto, em cada som que eu escuto, em cada passo que eu dou. 

Argh, como isso é ridículo. 

Só te peço uma coisa: Por favor, por mais que tudo e todos sejam contra, por mais que as coisas estejam impossíveis, por mais babaca que eu seja, por mais besteira que eu faça, por mais que eu diga que te odeio e que vou embora… só me abrace por um momento e diga que vai ficar tudo bem. Porque tudo isso é momentâneo, amor é pra sempre. 

E como alguém uma vez me disse: "Eu acredito no amor"

—Natália Leal

ryandonato:

Playful light and long exposure photography by Brice Bischoff

Boa noite pra você que acorda agora, no meio da fria madrugada com um grito alto no escuro. Respire fundo pois o pesadelo está apenas começando, meu amor. 

Você não pode ver, mas pode sentir minha lâmina correndo suave por sua garganta. O sangue quente escorrendo e jorrando por todos os lados. Você acha que está escuro agora? Espera para ver, então…

Grite pra mim, lute contra a dor. Mas saiba: você não pode vencer. Isso é apenas o início da sua jornada pelo inferno. 

Veja as imagens passando pela sua mente: as pessoas que você machucou de propósito, as risadas que você deu às minhas custas e toda aquela dor que você causou. Veja bem, pois tudo isso agora é você quem vai sentir. Dez vezes, cem vezes, mil vezes mais!

Agora quem vai rir sou eu, assistindo a vida dizer adeus a estes seus belos olhos.

Boa noite, durma bem e sonhe comigo.

(Natália Leal)

ghostpaul:

Fucking Insane!

"What would you do if I told you I hate you? What would you do if your life’s on the line?!"

—Hollywood Undead

De uma coisa eu tinha completa certeza: eu não estava sozinha.

Eu era a única pessoa visível alí mas, eu podia sentir alguém que me acompanhava por aquele lugar frio e escuro no qual estávamos. Olhei em volta e a única coisa que vi foi uma luz fraca, bem longe dalí, no meio do que parecia ser o oceano. Eu não sabia o que era, pois o lugar todo estava mergulhado numa densa escuridão. A luz fraca no horizonte e minha “companhia” desconhecida eram tudo o que eu tinha.

Uma onda de desespero tomou conta de mim e eu tive a impressão de que tudo à minha volta era água. Era o mar, muito profundo… e ele me engoliria. Me levaria pro baixo, pra onde não existisse luz alguma.

E eu ficaria lá e morreria. Sozinha.

Fiquei parada por um tempo, tentando me acalmar e comecei a prestar a atenção na respiração que vinha de trás de mim. Pude sentí-la em minha nuca e percebi que aquele alguém estava se aproximando. Braços me envolveram e o frio passou de repente. Me senti segura alí, vendo agora que a pessoa atrás de mim realmente existia. Seus braços brancos me seguravam pela cintura.

Fechei os olhos e me virei. Ele pôs as mãos delicadamente em meu rosto antes de me beijar. Poucos segundos depois, senti seus lábios se afastarem. Fiquei um pouco frustrada no momento, mas depois ele me puxou em um abraço e eu pude sentir o seu cheiro. Não existia mais mistério. Respirei fundo e me inclinei levemente para trás, só o suficiente para tentar enxergar o seu rosto. Quando abri os olhos, ali estava um par de olhos castanhos me encarando e os lábios mais lindos que sussurravam o que eu sempre quis escutar.

(Natália Leal)

"A GENTE MORRE SOZINHO" (?)

—Fresno

Eu acendo um cigarro e olho em volta, observando as pessoas e a energia ao meu redor. Tudo parece calmo, todos parecem rir e se sentir bem…

Enquanto isso, um buraco começa a se abrir em meu peito, a dor se expandindo… 

Olho em volta mais uma vez. Agora, procurando por ele que é o unico que consegue amenizar tal agonia. Meus olhos se enchem de lágrimas ao perceber que não o encontrarei. 

Então, puxo um trago do cigarro entre meus dedos e respiro fundo. Solto a fumaça pro alto, esperando que ela leve um pouco daquele sentimento ruim embora. Não funciona.

Tomo então mais um gole da bebida que há em meu copo, mas o gosto forte do álcool também não é o suficiente pra me tirar aquela sensação de perda.

Como eu queria que estivesse aqui.

Não existe droga no mundo que vá me curar, não existe consolo que me fará sentir melhor, não existem palavras que poderão me confortar e nem existe ninguém que poderá me fazer o bem que você me faz. 

Uma noite sem ele é uma tortura, uma decepção… uma vida sem ele nada é.

Me promete que nunca vai embora?

Pode ser ilusão… mas num mundo tão cruelmente real desses, há coisa mais valiosa que a fantasia?

(Natália Leal)

"Don’t walk away from me"